Pretende-se qualificar (de A+ a G) cada edifício ou fração e informar os proprietários, compradores, ou arrendatários, quanto à sua eficiência energética e consumos de energia esperados na sua utilização corrente mediante um certificado energético.